A importância da economia colaborativa

Economia colaborativa é uma tendência global baseada em uma nova visão de mundo. Como o próprio nome já sugere, ela propõe que o compartilhamento e a colaboração devem substituir excessos e acúmulos.

Registros apresentam que o escritor norte-americano Lawrence Lessig, provavelmente, foi a primeira pessoa a utilizar este termo no ano de 2008. Anos mais tarde, em 2011 a revista TIME apresentou em uma lista de ´´10 ideias que irão mudar o mundo´´ a economia colaborativa. A partir daí, cada vez mais surgem empresas e pessoas capazes de mostrar o poder social e econômico deste conceito.

Um exemplo claro de economia colaborativa são os aplicativos de carros (como Uber e 99táxi), de aluguel de apartamentos por temporada (como Airbnb), aluguel de bicicletas e patinetes. Nos negócios, o melhor exemplo de economia colaborativa são os espaços de Coworking, em que em um mesmo local funciona diversos empresas de segmentos distintos.

Nestes espaços você pode ser um freelancer e alugar uma mesa ou uma empresa com um número considerável de funcionários e alugar uma sala privativa. Os custos são baixos comparados a um escritório comum, já que em um Coworking o profissional não se preocupa com contas de Internet, luz, água e etc.

O impacto na vida das pessoas

A Economia colaborativa surgiu para além de diminuir custos, mas também para nos conscientizar sobre os problemas sociais e ambientais do mundo.
Muitas vezes adquirimos determinados objetos, como roupas, livros, bicicleta e esquecemos em um canto da casa, para no fim gerarmos mais lixo e desperdício.

Uma situação que exemplifica este impacto é a seguinte: uma pessoa precisa de um aspirador de pó e sabe que só irá utilizá-lo uma única vez, ao invés de comprá-lo é possível alugar o equipamento por algumas horas através de sites e aplicativos. Desta forma, ela economiza e não acumula mais um eletrodoméstico que não terá uso futuro.

Até alugar roupas é possível! É comum encontrarmos lojas de roupas de festas para alugar, certo? Porém, hoje existem empresas que alugam roupas para o dia a dia, sendo muito utilizado por pessoas que irão viajar.
Exemplo: você tem uma viagem marcada para Europa em uma época de muito frio e precisa de bons casacos, basta procurar um desses serviços e escolher as roupas certas. Assim, você não precisa gastar mais dinheiro comprando uma peça de roupa que, provavelmente, não irá sair do armário morando no país tropical como o Brasil.

Existem outras ações de compartilhamento que se baseiam apenas na troca, sem dinheiro envolvido. Uma professora de Yoga pode trocar suas aulas por algumas diárias em um sítio, por exemplo.

A economia compartilhada também veio para ajudar as pessoas a tirar seus projetos do papel. Mais conhecido como financiamento coletivo, o crowdfunding é uma forma de arrecadação de dinheiro em que uma parcela de pessoas contribuem para um único objetivo.
Normalmente, músicos, escritores independentes e artistas em geral, utilizam a plataforma para lançar seus primeiros trabalhos. Em troca, oferecem recompensas de acordo com cada valor contribuído.

Fica claro que para o compartilhamento não há limites e o quanto essa tendência é forte e importante. É possível encontrar diversos exemplos de serviços compartilhados, beneficiando a pessoa que oferece o serviço e a quem aluga ou troca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat